Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cenas

Os Olhos

Julho 04, 2022

0.jpg

Muitas vezes quando a olho nos olhos vejo-a de formas diferentes, de personalidades diferentes daquela que eu conheci e apaixonei-me e interrogo-me muitas vezes se será que ela também pensa como eu e vê-me de maneira diferente e personalidade diferente porque eu que sinto que sou inalterável e que mantenho o traço de personalidade desde o dia que nos conhecemos e essa forma de pensar faz-me interrogar se será que ela também se acha inalterável como eu e as rugas que carregamos são o fruto do nosso amor.

O Beijo

Abril 11, 2022

12.webp

Por mais que tentasse recordar não me consigo lembrar do último beijo que lhe dei, talvez por lhe ter dado muitos ou tão poucos que não me consigo recordar do último. No entanto, lembro-me perfeitamente do primeiro que lhe dei. Era de noite e passara a tarde toda com ela. Num momento em que ela falava sobre assunto qualquer, eu olhava para os seus olhos e para os seus lábios, ela olhava-me de volta e falava e as tantas no interrompi-lhe o discurso e tentei roubar-lhe um beijo e ela aceitou e retribuiu e foi bom. Foi o primeiro beijo que lhe dei, o último não me lembro.

A Caminhada

Março 21, 2022

cc.jpg

Vamos caminhando lado a lado desde que nos cruzamos pela primeira vez e percebemos que tínhamos sido feitos um para o outro, mesmo sem termos ainda trocado uma palavra. Por vezes estivemos mais afastados, outras mais próximos, mas nunca estivemos totalmente desligados. Essa viagem começou a bastante tempo, noutra eternidade, noutra encarnação, mas estivemos sempre juntos ate um dia em que uma força maior nos separa e nos esperamos ate reencarnarmos e novamente os nossos espíritos encarnam numa nova forma física que torna a encontrar-se e tem sido assim desde o início dos tempos.

A Morte

Fevereiro 04, 2022

267614877_469254857895299_8932620513473434555_n.jp

Perguntas-te me como morri? Eu tentei explicar-te que não sabia bem como vivera por isso era irrelevante estar a tentar explicar-te os factos que levaram a minha morte, mas tu insistias em saber pormenores e dizias teres tempo para me ouvir e que sabias escutar uma boa história. Eu esfregava as mãos enquanto escutava o estalar da lenha a arder e procurava aquecer-me sem saber o que havia de fazer e olhava para o lume a pedir conselhos, foi então que me sentei longe das chamas e contei-te os últimos momentos em que estive vivo, mas sem saber se eram realmente os meus últimos momentos vivos, se os últimos momentos em que me senti vivo.

Acordei

Janeiro 31, 2022

gmofps_1594570701.jpg

Adormeci. Sonhei estar fora da terra e que a lua transportava-me e carregava-me dentro de um cesto de ‘vide’ que viajava a uma velocidade enfurecida através de um meteorito formado por dezenas de fragmentos de asteroides e embora pudéssemos chocar a qualquer instante com um desses asteroides eu não tinha medo porque levava nos braços o urso que tu me tinhas dado e que disseste que enquanto eu o segurasse nada de mal me acontecia porque ele era magico. E foi nesse instante que vi, perto do sol, um planeta apinhado de ursos como o meu que corriam de um lado para o outro a apontar também para mim. Acordei e já não tinha nenhum urso comigo e agora sim, tinha medo.

A Floresta

Janeiro 17, 2022

darknmoody_hunter_1638181030.jpg

As vezes penso que a vida é como a criança do conto de fadas que vai atravessar a floresta para levar um cesto de bolinhos a avó, mas têm de ter cuidado como o lobo mau. Nesse sentido a nossa vida é um atravessar da floresta constante em que estamos sempre de sentidos atentos porque o lobo mau espreita a cada momento e esta sempre pronto para nos atacar e comer. As vezes fazemos a travessia da floresta acompanhados por outras crianças e nesses momentos podemos descontrair um pouco mais, mas grande parte do trajeto é feito por nós sozinhos em que caminhamos meio perdidos e nunca chegamos ao nosso destino que é a casa da avó, ate o dia em que morrermos e nessa altura chegamos a casa da Avó.

Traços

Janeiro 03, 2022

nick-fewings-ka7REB1AJl4-unsplash.jpg

A vida as vezes coloca-nos a desafios que nos poem a prova onde temos de usar tanto o que sentimos no nosso coração, como o conhecimento que temos nosso cérebro. Por vezes é difícil saber qual dessas componentes nos esta a guiar. As vezes só olhando para trás é que conseguimos perceber o que fizemos em determinada altura da nossa vida, mas não nós podemos agarrar ao passado nem estar constantemente á procura de explicações para os nossos comportamentos. O nosso trilho esta traçado e nos vamos caminhando nele e fora dele, tentando não nos afastamos muito da nossa missão que um dia nos foi destinada.

O Presente

Dezembro 06, 2021

true love.jpg

Quantas vezes já nos aconteceu apaixonar-mo-nos pela pessoa errada, aquela que não têm nada a ver com a nossa realidade e que vive num mundo diferente do nosso e, no entanto, criarmos expetativas, ilusões que aquela pessoa é de facto essencial na nossa vida e pensamos que o nosso mundo ira girar simultaneamente com ela para sempre e perdemos o nosso tempo com atos apaixonados que servem apenas para tentar enganar a nossa razão que nos manda libertar as amarras que nós inventamos para calar o chamamento do nosso coração.

O Namoro

Outubro 18, 2021

21803899_g4D9K.jpegHoje faz um ano que nós conhecemos. Estava um dia relativamente quente. Não me recordo o que tinha que fazer, mas eu ia na rua a fumar um cigarro. Tu estavas a passar e abordaste-me e perguntaste se tinha lume. Respondi que tinha e que eram fósforos e questionei-te se querias mesmo assim. Tu disseste que sim. Tirei do bolso a caixa de fósforos e constatei que só tinha um fosforo e entreguei-te. Perguntaste se não fazia mal ser o último fosforo. Respondi que não. Então acendeste o fosforo e levaste a boca para acender o cigarro, nesse preciso momento, uma brisa de vento apagou o fosforo e tu fizeste uma cara de insatisfação. Disse-te então se querias acender o teu cigarro com o meu. Perguntaste se não me fazia diferença. Eu entreguei-te o meu cigarro, tu sorriste e acendeste o teu, depois agradeceste e ficamos a falar um bocado enquanto fumávamos.

A Lembrança

Outubro 14, 2021

21798145_FjLVU.jpegLembras-te quando fomos ao Festival este Verão e acampamos. Iam tocar as nossas bandas favoritas. Quando chegamos ao parque de campismo víamos tanta gente que pensávamos que não íamos encontrar um lugar para montar a nossa tenda. Finalmente depois de procurar por um espaço para acampar encontramos um local perto dos duches e montamos a tenda com a habilidade de um arquitecto e no fim tu começaste a dançar de alegria como uma louca e como não houvesse amanha e eu fiquei a olhar para ti deslumbrado. Lembras-te?

 

Mensagens

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub